Segurança Digital: Tudo Começa Pela Senha

Segurança Digital: Tudo Começa Pela Senha
21/10/2020

Esse é um assunto aparentemente superado, porém ainda se constitui em grande dor de cabeça quando se trata de acesso a bens móveis, imóveis e informação pessoal, profissional ou pública. Não há como negar que ainda temos muito a aprender quando o assunto é a criação, manutenção e atualização de nossas senhas.

Para começar, posso aqui lembrar a tradicional regra de criação de senhas. Assim, qual a senha ideal? Em resposta, eu lembro que a senha ideal é aquela que mistura o máximo de possibilidades à disposição na hora da criação. Letras maiúsculas e minúsculas, números e caracteres especiais devem ser levados em consideração no momento da criação de uma senha minimamente segura, além da quantidade mínima de 6 a 8 caracteres. Além disso, é interessante lembrar que alguns sistemas e empresas já possuem um padrão universal que todos devem seguir (quantidade mínima de caracteres, se é permitido somente letras ou somente números, se pode ou não símbolos...). Devemos ainda lembrar que devem ser evitados dados pessoais, ou de parentes próximos, o que é facilmente detectado num ataque hacker de dicionário.

Outro fator importante é criar uma padronização lógica e não-óbvia a fim de facilitar a lembrança das diversas senhas criadas. Já vi pessoas utilizarem as iniciais de letras de uma poesia, seguido dos números e símbolos correspondentes no teclado numérico do computador. Outra associava os números de um jogo de azar às letras do teclado e atribuía um animal para cada local (banco = leão; e-mail = pombo...), anotava essa associação num diário de maneira que documentava e evitava a perda da mesma com o tempo ou mesmo com qualquer outro extravio referencial. Enfim, de alguma maneira devemos pensar nas senhas como um recurso necessário e extremamente importante, de forma que a manutenção dessas seja feita levando em consideração a racionalidade e a segurança.

Apesar de tudo o que possamos citar sobre esse importante assunto, além de saber criar e manter a própria política de senhas, deve-se lembrar que com o uso e a própria evolução na comunicação, as senhas precisam ser recriadas de tempos em tempos. Eu, particularmente, recrio minhas senhas, religiosamente, a cada ano ou caso perceba a quebra ou perda de alguma delas. Isso é algo indispensável para manter a segurança de recursos e das próprias senhas.

Bom, finalizando, apesar de inúmeros outros recursos de segurança que poderíamos citar que são associados às senhas para garantir a integridade e inviolabilidade de recursos do usuário, acreditem, tudo ainda começa com uma senha bem definida. Pense nisso!
 
Por: Mário Sérgio de Araújo Silva, é pastor auxiliar na Assembleia de Deus em Joinville/SC; Supervisor do Setor 41 (Estevão de Mattos); Membro da equipe de TI da IEADJO; Possui formação em Sistemas de Informação, Direito e Teologia.

Demétrio Daniel dos Santos Ferreira
Obreiro da IEADJO, Locutor na Rádio 107,5 FM. Jornalista - MTB SC 6144 JP

Comentar

3 + 0 =
Para evitarmos "spams". Resolva esta simples operação matemática. Exemplo: 1+3, digite 4.