O HALLOWEEN E AS CRIANÇAS PEQUENAS

O HALLOWEEN E AS CRIANÇAS PEQUENAS
30/10/2018

Hoje vai ser um dia de “emburrações” em muitos lares, entre nós evangélicos.

Eu até estou começando a desconfiar que “halloween” em Português significa “emburração de pequeninos”, com direito a cara revoltada, lábios comprimidos, sobrancelhas envergadas e braços cruzados com força, tudo isso gerando aquela cara de choro, à medida que a tardinha vai chegando e todos os amiguinhos do prédio e do condomínio vão se agitando numa animação, digamos… monstra.

Depois desses anos todos de halloween ‘pega-mas-não-pega’ no Brasil, penso que os pequenininhos – principalmente meninos e meninas entre 5 e 8 anos – é que muito se animam pelo dia, mas só pelo dia (muito mais do que pelo halloween).

Creio eu que é pelo prazer do diferente, do exótico; pelo lúdico da fantasia e das pinturas de rosto, etc. E todos sabemos que se deixarmos, crianças se pintam mesmo! Todo dia é dia de festa, com pinturas e fantasias para muitas delas. E se puderem colocar uma roupa que impressione (então?) e os elogios que virão (“mas você está lindo/linda de”…) será também grande combustível de felicidade momentânea para eles.
É a turminha pequena, entre os 5 e 8 anos, a que ‘não entende’ porque seus pais não deixam que participem, quem mais sofre com o não ao halloween.
Eles emburram não porque querem desobedecer, querem ter ‘uma iniciação’ com o sobrenatural… nada disso! Eles simplesmente querem ser iguais, querem andar ‘em bando’ com os coleguinhas, numa noite para eles ‘fantástica’, tudo isso fervilhando na cabecinha deles. Ah, e também querem os doces, claro.

Porém, como pais cristãos, somos responsáveis pela integridade emocional e espiritual (principalmente) dos nossos meninos e meninas e continuo afirmando que “de brincadeira” o halloween não tem nada! E de perigos e riscos, tem tudo!

Então, seguro e certo é este não; é o vedar mesmo.
É o explicar e orientar por que não participamos.

Pais, persistam aqui e não cedam. O “só dessa vez” poderá ser uma concessão para outras questões na vida que aí sim, quem vai ter sustos e ‘dos grandes’ com outras e terríveis “travessuras’, serão vocês.
A AUTORIDADE de pais é de vocês e vocês não devem negociá-la, jamais. Não incentivo jamais a ARBITRARIEDADE. Mas a autoridade, desta eu não abro mão.
E não ao halloween, deve ser não e pronto!
Hoje ele/ela chorará e até esperneará. Mas mais adiante quando entender, lhe agradecerá.

Entendam os pais que não é ‘do halloween’ que eles gostam (eles nem saberiam muito explicar o que é). É do agito, do lúdico, da fantasia e da pintura. Ah. E dos doces.

Algumas pequenas dicas que pais de crianças pequenas podem observar:

1. Não tentem um discurso teológico para elas hoje, do tipo: “Porque em Levítico, segundo Moisés; porque o povo jebuseu”… Não. Discursos homéricos não cabem. CABE a explicação que nós não ‘brincamos’ de halloween, porque isto realmente nada tem a ver com o nosso Deus. E nós amamos a Deus, que cuida de nós. Que esta festa não é de Deus.

2. Não se fechem em casa e coloquem algodão nos ouvidos de todo mundo!

3. Não coloquem o aparelho de CD para tocar um ‘louvor rasgado’ bem alto na hora que estiverem buzinando a sua campainha (e nem cantem junto, gritando…).

Procurem fazer, se quiserem, isso:

1. Até para o próximo dia de halloween, ou como prevenção: combinem com outros pais jovens da igreja como vocês e que têm filhos na mesma idade um dia diferente quando for ‘dia de halloween’.. E aí, saiam juntos com seus filhos pequenos! Lembrem-se que os pequeninos gostam de companhia e de ‘bando’. Então, se eles puderem sair com os seus amiguinhos da igreja e vocês todos como famílias, poderá ser uma grande atração para eles. Promovam uma noite divertida. Vão a um local onde vocês possam aproveitar da amizade e da companhia.

2. Quem sabe, marquem nas casas (revezamento) e façam um encontro com pizza, sorvete, doces, filmes que todos gostem… Naquele momento do agito no seu prédio ou condomínio, vocês retiram os seus filhos do foco.

3. Expliquem que aquilo não é um “halloween cristão” o que vocês estarão fazendo, mas uma maneira de todos vocês estarem junto com amigos cristãos, aproveitando desta amizade sem ter que recorrer ao que não precisam: ao halloween. E uma boa programação, muitas brincadeiras e joguinhos, não tem halloween que resista, pois no final das contas, lá é tudo a mesma coisa: não há criatividade alguma. Já no meio do povo de Deus, não para de ter criatividade e entusiasmo!

4. Outro dia, que não NO DIA do halloween, façam alguns encontros para pinturas e fantasias entre as famílias de vocês. Que se pintem de temas: animais. heróis, que se inventem caças ao tesouro, etc. Tirar deles algo que para eles é sinônimo de diversão, pode ser que eles não entendam ainda. Mas se vocês pensam neles e fazem algo por eles, eles mesmos verão que ‘do nosso lado’ é bem melhor a alegria e que isto lhes trará a diversão que, no final, é o que importa [para eles].

Penso que seja algo que possa ser feito. Dará trabalho, mas será uma das possibilidades de vocês mostrarem aos seus filhos pequenos que não precisamos nos divertir igual ao mundo (ver, Jeremias 15.19).
Ah, e esta ideia poderá até ser fator de entrosamento para famílias novas na igreja.

Não. Não estou dizendo que vocês devam fazer; que isto concorrerá com o halloween.
Digo [apenas] que pode ser feito e que é uma opção, apenas isto.

Indico isto se suas crianças pequenas (e tão pressionadas) pelos amiguinhos que “brincarão o halloween”, ficarem confusas e tristes em um dia-momento como hoje. O ataque real das forças espirituais do mal é mais contra eles [os pequeninos] do que contra vocês nesta ‘atividade importada’, saibam disso.

Sair do foco – ao menos isso – para tomar um sorvete, comer um pastel que seja em família hoje – e só a sua família, pode ser (por que não?) algo bom para os pequeninos.

Do halloween de hoje, claro que eles esquecerão (esqueceram já do ano passado) Ah, e a ‘cara emburrada’ logo passará.
Mas se vocês fizerem algo para apoiá-los em suas cabecinhas que ‘não entendem ainda’ o ‘porque não’, eles entenderão que seus pais os amam e deles cuidam, se fizerem algo com eles também hoje. Algo simples que seja. Mas algo neste momento de pressão emocional forte que lidarão logo mais.

Tentem isso.
Se der certo, que bom.
Ah. Isso é até marca de sorvete.

Fonte: Ministério Pequenos Passos - Acesso em 30 de outubro de 2018
 

Demétrio Daniel dos Santos Ferreira
Obreiro da IEADJO, Locutor na Rádio 107,5 FM. Jornalista Responsável - MTB SC 6144 JP

Comentar

3 + 2 =
Para evitarmos "spams". Resolva esta simples operação matemática. Exemplo: 1+3, digite 4.